Football

AC Milan e Technogym

No futebol, e no desporto em geral, os resultados são o mais importante. Pode jogar-se bem ou mal, mas se o resultado final for a vitória, todos ficam felizes. Isto é particularmente verdadeiro em Itália, casa do jogo defensivo e dos contra-ataques à velocidade da luz. Ou melhor, foi verdadeiro até 3 de julho de 1987. Nesse dia, o então pouco conhecido Arrigo Sacchi tornou-se treinador do AC Milan. Na sua nova função, lançou uma revolução cultural desde o início: a qualidade do jogo deveria ter prioridade sobre os resultados, apresentar um espetáculo para os espetadores desfrutarem tinha de ser mais importante que a classificação na liga. Parecia um desafio vindo de um D. Quixote dos tempos modernos. Começou como uma tarefa quase impossível: a equipa foi derrotada várias vezes e até afastada da Taça Uefa, provocando a insatisfação dos adeptos. No entanto, Berlusconi, presidente do clube há pouco mais de um ano, avisou-os: "Arrigo Sacchi está aqui para ficar; quanto a vós, não sei". O final da história está escrito de forma gloriosa: o AC Milan conquistou o campeonato e esse título foi apenas o primeiro marco da mais incrível série de vitórias na história da equipa. A formação 4-4-2 de Sacchi tornou-se um princípio icónico no mundo do futebol, aplicada por estrelas como Baresi, Maldini, Gullit e Van Basten - a elite de toda uma geração de futebolistas.
Mas existe uma face mais obscura, mas não menos importante, dessa revolução: o treino atlético a que os preparadores físicos do AC Milan começaram a submeter os seus jogadores. O "futebol total" de Sacchi, além de mecanismos táticos perfeitamente sincronizados, exige um nível de intensidade e de ritmo que apenas treino específico pode assegurar. Não é por acaso que, nesses anos, teve início a parceria entre os "Rossoneri" e a Technogym: O equipamento da Technogym foi selecionado para o ginásio do AC Milan - umas instalações modernas, equipadas com máquinas para treino cardiovascular, de força, de recuperação e de reabilitação. Atualmente, pode parecer normal para uma equipa da "Serie A", a primeira liga italiana, dispor de um ginásio totalmente equipado para os seus jogadores, mas na altura - foi nada menos que revolucionário.
Quase vinte anos mais tarde, a parceria mantém-se: contudo, em Milanello, o antigo ginásio evoluiu para o Milan Lab, um projeto iniciado em 2002 e que, até agora, permitiu obter mais de um milhão de registos com base nos testes efetuados aos jogadores da equipa. "Esta recolha de dados é extremamente importante para gerir a saúde dos nossos atletas", explica Daniele Tognaccini, preparador físico do AC Milan desde há 15 anos. "Estes testes ajudam-nos a identificar tarefas ou situações que envolvam riscos para cada jogador. Não é necessário referir que estas informações são preciosas para quem tem responsabilidades na gestão do clube, em particular no que diz respeito à saúde e ao bem-estar dos jogadores. O projeto Milan Lab também vai de mão em mão com a filosofia de treino funcional que está no centro da estratégia da Technogym."
O treino funcional é inspirado pelos movimentos naturais, produzidos através da contração sinergística de diferentes grupos musculares. Está no extremo oposto da escala relativamente ao trabalho muscular "compartimentalizado", característico do equipamento tradicional. À primeira vista, pode parecer uma abordagem demasiado simplificada: mas, na realidade, até ativa os músculos mais pequenos, estimulando uma preciosa estabilização das articulações. "Este novo método de treino no ginásio", continua Tognaccini, "traduziu-se em enormes vantagens para a preparação física dos nossos futebolistas, porque, através de ferramentas tecnologicamente avançadas, estou a pensar na Omnia da Technogym, por exemplo, podemos simular os esforços exigidos aos atletas no campo. Além disso, o treino no interior, a que nos referimos como treino seco, é importante essencialmente para trabalhar nos mecanismos compensatórios típicos do futebol. Por exemplo, todo o trabalho que efetuamos na cadeia muscular posterior, normalmente muito contraída devido à corrida em plano, é compensado com trabalho no ginásio. A nova Leg Press da Technogym, que combina a carga tradicional com diferentes opções de treino com faixas elásticas, é uma ferramenta extremamente útil para exercitar articulações e cadeias musculares problemáticas, uma vez que permite o ângulo máximo de progressão e controlo. Finalmente, mas não menos importante, estas máquinas ajudam a eliminar a inércia, ao contrário das máquinas convencionais, em que é um fator relevante".
O envolvimento dos jogadores em questões de treino e preparação física também teve início com a revolução cultural ocorrida a partir de meados dos anos oitenta. O futebolista típico, que só apreciava o treino se envolvesse jogos não competitivos e faria tudo para evitar o exercício com repetições, é algo do passado. "Hoje, os futebolistas não treinam apenas no campo", conclui Tognaccini, "é de salientar que os jogadores do AC Milan passam cerca de 50% do seu tempo de treino no ginásio. É por este motivo que é tão importante poder confiar num parceiro de alto perfil: escolhemos a Technogym porque responde a todos os nossos requisitos e porque os nossos futebolistas têm uma sensação especial com este equipamento, em particular com as máquinas da linha Pure Strength, criadas para o fortalecimento muscular. Desde que as temos em Milanello, muitos jogadores optaram por treinar apenas nestas máquinas, porque transmitem uma sensação de desempenho mais elevado em comparação com outros equipamentos."