Como correr da forma mais correta

Se é capaz de andar, então também é capaz de correr, certo? Bem, não exatamente. Em primeiro lugar, muitas pessoas têm técnicas de marcha muito deficientes e estas traduzem-se, frequentemente, na forma como correm. Mesmo as pessoas com técnicas de marcha satisfatórias podem correr de forma incorreta. Se a isto adicionarmos o calçado incorreto e o embate constante em superfícies duras, o que começou por ser uma atividade para melhorar a saúde e o bem-estar em geral pode acabar por causar sérios danos. Pior ainda: a maioria dos corredores que têm uma técnica deficiente não notam os danos causados até anos mais tarde, quando os efeitos da cartilagem desgastada e das articulações inflamadas se tornam mais evidentes. Então, como é sabe se está a correr incorretamente? Um bom indicador será ouvir o seu corpo: se os seus braços, ombros ou costas lhe doem ou ficam tensos durante os treinos, então necessita de ajustar a sua forma.

Um erro muito comum cometido pelos corredores é movimentarem excessivamente a parte superior do tronco durante a corrida. Isto significa que realizam demasiados movimentos de torção desnecessários, retirando os seus corpos do alinhamento central. Normalmente, isto resulta de balançar excessivamente os braços, fazendo com que os ombros girem a parte superior do tronco de um lado para o outro. A corrida é um desporto linear. O objetivo deveria ser mover-se para a frente numa linha reta, mantendo o centro do corpo sobre as pernas e fazendo contacto com o solo.

Para corrigir a rotação desnecessária da parte superior do tronco e recuperar o alinhamento adequado, pense no corpo como tendo uma linha central (como, por exemplo, um fecho de correr de um casaco). A cada 30-50 passadas, verifique a posição das suas mãos enquanto os seus braços balançam para a frente. Se for capaz de ver o seu polegar e dedo indicador, então as suas mãos estão, muito provavelmente, a ultrapassar a sua linha central. Mantenha as mãos ligeiramente mais afastadas das suas ancas, de forma a estarem um pouco afastadas do corpo. Além disso, pense que está a tentar alcançar um bolso de trás imaginário à medida que balança os braços para trás. Esta posição alarga o seu alcance numa linha reta, reduzindo a tendência para ultrapassar a linha do "fecho de correr".

Outro erro comum cometido durante a corrida é a má postura,exacerbada, ainda mais, pela flexão a partir da cintura. A má postura desvia a energia que poderia ser utilizada para melhorar a velocidade e a distância percorrida, causando ainda inúmeras lesões comuns. Durante a corrida, imagine que a sua cabeça está a ser puxada para trás por um fio que passa pelo centro do seu corpo e sai no topo da sua cabeça. Imagine também que esse fio está a esticá-lo em direção ao céu, forçando a parte de trás da sua cabeça a alinhar-se corretamente com a sua coluna.

A sua cabeça é o sistema de orientação da sua coluna. Seja qual for a direção da cabeça, a coluna segui-la-á. Como tal, mantenha a cabeça erguida, com o queixo paralelo ao peito e olhando em frente ao invés de olhar para os seus pés. Uma vez ereto (isto é, sem qualquer vestígio de má postura), incline-se para a frente a partir dos tornozelos sem fletir a cintura. Durante a corrida, direcione o seu peso ligeiramente para a frente de forma a que os pés entrem em contacto com o solo de forma mais direta sob o seu corpo.

A forma como corre é determinada pela força e a flexibilidade de certos músculos, bem como pela forma como o seu corpo é constituído. Consequentemente, o seu objetivo deve ser correr "naturalmente", isto é, correr de uma forma que complemente a sua constituição ao invés de a contrariar. O inovador algoritmo RUNNING RATE integrado na passadeira MYRUN da Technogym ajuda-o a entender, em tempo real, qual é o seu tipo de passada, de cadência e de oscilação, ajudando-o, assim, a melhorar o seu estilo de corrida e a aumentar a sua velocidade e eficiência.

  • Evite dar passadas demasiado longas (que resultam, normalmente, de colocar o pé demasiado à frente), pois estas podem causar lesõ Não tente prolongar a sua passada natural. Uma passada curta e rápida é mais benéfica.
  • A metade dianteira do pé deverá entrar em contacto com o solo primeiro. Uma passada com a metade dianteira do pé promove uma posição de corrida equilibrada. Contudo, o mais importante é manter os joelhos em linha com os tornozelos, certificando-se de que a passada é realizada sob o joelho e não à frente do mesmo. O alinhamento incorreto do tornozelo/joelho é uma das principais causas das lesões associadas à
  • Corra de forma leve e evite entrar em contacto com o solo bruscamente. À medida que o seu pé entrar em contacto com o solo imagine que está a correr sobre neve fresca sem deixar quaisquer pegadas. Isto irá encorajá-lo a dar passadas mais leves.
  • A cadência elevada (número de passos por minuto) também promove passadas mais curtas, rápidas e um impacto no solo com a metade dianteira do pé. Recomenda-se uma cadência de 180 passos por minuto. Para encontrar a sua cadência: corra durante um minuto. Conte o número de vezes que o seu pé direito entrou em contacto com o solo. Em seguida, duplique esse nú

Tentar mudar repentina e radicalmente a sua forma sem antes dar a oportunidade ao seu corpo de se ajustar também pode levar à ocorrência de lesões. Como tal, quaisquer alterações deverão ser introduzidas gradualmente, dando tempo para o seu corpo se ajustar, reduzindo o tempo de treino, a velocidade e a distância da corrida. Uma vez integradas confortavelmente todas as mudanças, poderá começar a retomar o seu regime de treino original. Boa corrida!