A maravilhosa história do exercício e das endorfinas

Quando se exercita, o seu corpo liberta químicos denominados endorfinas. Estas endorfinas interagem com os recetores do seu cérebro para reduzir a sua perceção da dor.

Existem fortes evidências científicas que demonstram que as pessoas que praticam exercício regularmente têm uma atitude mais positiva e níveis mais baixos de depressão.

Existem também inúmeros mecanismos que explicam como a prática de exercício melhora o humor, sendo um deles as endorfinas. Ao interagir com os recetores do cérebro, as endorfinas despoletam uma sensação positiva no corpo, muito semelhante à sensação provocada pela morfina.

Este efeito é conhecido como a "emoção do corredor", sendo acompanhado por uma abordagem positiva à vida quotidiana.

Consequentemente, a prática de exercício aumenta a saúde e a sensação de bem-estar em geral, dando-lhe mais energia para enfrentar o dia a dia.

As endorfinas atuam como uma espécie de analgésico, reduzindo a perceção da dor, e como sedativo, produzindo uma sensação de calma.

A prática de exercício regular tem diversos benefícios comprovados, tais como:

  • Redução do stress
  • Evitar a ansiedade e a depressão
  • Aumento da auto estima
  • Melhoria do sono

Agora que já sabe que praticar exercício físico é verdadeiramente eficaz não só para o seu corpo, mas também para o seu bem-estar mental, poderá pensar que está demasiado ocupado e stressado para encaixar a prática de exercício na sua rotina diária. Contudo, existem boas notícias no que diz respeito à relação entre exercício e stress.
Importa saber que praticamente qualquer forma de exercício, desde o aeróbico ao treino de força, do ciclismo ao ioga pode ser um atenuante do stress.
Não importa que não seja um atleta ou que esteja em baixo de forma; de certeza que encontrará uma forma de exercício que se adapte à sua rotina diária.
O exercício é meditação em movimento e, para obter tal efeito, não tem necessariamente de praticar Tai Chi, Ioga ou qualquer outra atividade semelhante, denominadas comumente por "atividades do corpo e da mente"; as atividades típicas que encontra num centro de wellness ou mesmo aquelas realizadas ao ar livre cumprem, na perfeição, o objetivo de reduzir o stress.
Após uma aula de cycling em grupo, um acelerado jogo de raquetebol ou nadar várias piscinas, verá que esquecerá as irritações do dia a dia e se concentrará apenas nos movimentos do seu corpo.
À medida que for deixando as tensões do seu dia a dia para trás através do movimento e da atividade física, comprovará que tal foco numa única tarefa, bem como a energia e o otimismo daí resultantes podem ajudá-lo a manter a calma em tudo o que fizer.
Tal como referido, está comprovado que qualquer forma de exercício é benéfica, contudo, a intensidade de exercício recomendada é uma intensidade moderada.

A maioria das pessoas considera desnecessário consultar um profissional de saúde antes de iniciar um programa de treino. Contudo, caso não pratique exercício há já algum tempo, tenha mais de 50 anos ou sofra de alguma doença como, por exemplo, diabetes ou doença cardíaca, contacte um profissional de saúde antes de dar início a qualquer programa de treino.

Quão frequentemente deverá praticar exercício para obter todos os benefícios da libertação de endorfinas?

Tente praticar exercício durante, pelo menos, 20 a 30 minutos, três vezes por semana; se praticar exercício quatro ou cinco vezes por semana obterá ainda mais benefícios.

Se estiver a começar, vá com calma: exercite-se durante 20 minutos e aumente, gradualmente, para 30 minutos.

Algumas dicas para começar a exercitar-se?

Planeie uma rotina que seja fácil de seguir e manter. Quando se começar a sentir confortável com a sua rotina, poderá começar a variar a duração dos exercícios e as atividades realizadas.

  • Escolha uma atividade de que goste, pois praticar exercício deve ser algo divertido.
  • Ajuste a sua rotina de exercício à sua vida quotidiana.

Mantenha-a, pois se se exercitar regularmente, esta rotina tornar-se-á parte integrante do seu estilo de vida e ajudará a reduzir o risco de depressão.